Sikêra Jr. alega ser perseguido por comunidade LGBTQIA+

226 0

Após xingar a comunidade LGBTQIA+ de “raça desgraçada”, Sikêra Jr. foi à Justiça alegando estar sendo perseguido pela sigla. O apresentador da RedeTV! entrou com uma ação contra o ativista Agripino Magalhães e pediu R$ 100 mil de indenização por danos morais por se sentir vítima de “comentários vexatórios nas redes sociais”.

A hostilidade entre Sikêra e Agripino começou depois de uma sequência de falas do apresentador do Alerta Nacional, atacando o militante e suplente de deputado estadual em São Paulo, que o denunciou ao Ministério Público de São Paulo por homofobia. O caso virou um inquérito policial e está em fase de depoimentos.

Em maio deste ano, o ativista fez uma segunda denúncia, acusando Sikêra de chamá-lo de “suplente de baitola” no ar, além de outros insultos.

Informações: Metrópole

Post Relacionado