Maria Helena manda “devolver” ao Comando Geral tenente que bateu em adolescente

262 0

O tenente-coronel da PM Sávio Pellegrini, que aparece em imagens do circuito interno de um condomínio em Cuiabá dando dois socos no rosto de um adolescente de 17 anos, filho de ex-secretário de estado Yuri Bastos, no último sábado (18), foi desligado de suas funções da Coordenadoria Militar do TJ na manhã desta quarta-feira (22).

A presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargadora Maria Helena Póvoas, determinou o desligamento imediato de Sávio Pellegrini após tomar conhecimento do ocorrido.

Segundo a assessoria de imprensa do Poder Judiciário disse ao Única News, a desembargadora Maria Helena desconhecia as graves acusações que pesam sobre o oficial e que ele já fazia parte da coordenadoria miliar do TJ quando ela assumiu. Assim que ela tomou conhecimento, determinou a devolução dele ao Comando Geral da PM.

A decisão foi tomada após virem a público as imagens de Pellegrini dando dois socos no rosto do adolescente no Edifício Absolutto, em Cuiabá.

O caso

O tenente-coronel da Polícia Militar, Sávio Pellegrini, 38 anos, é acusado de agredir um jovem de 17 anos, que é filho do ex-secretário estadual e ex-presidente do MT Saúde, Yuri Bastos Jorge. Algumas imagens das câmeras de segurança do prédio onde ocorreu o caso mostram o momento da agressão, que ocorreu no sábado (18), no bairro Quilombo, em Cuiabá.

Nas cenas iniciais, pode-se ver o momento em que o menor passa pela portaria do edifício, junto com um amigo. Ele usa camiseta amarela, boné preto e segura um copo azul. Uma criança segura a porta, enquanto o filho de Yuri para ao lado dele, e o amigo segura a outra porta para a passagem do militar.

O amigo também usa uma camiseta amarela, e enquanto Sávio passa pela portaria, algumas frases são trocadas. Em seguida, ele volta e começa a agredir o filho de Yuri. Ele desfere um soco no rosto do menor.

Um outro amigo do menor, de camiseta preta, passa a discutir com o militar, e não se intimida com a postura agressiva dele. Ele é filho de uma procuradora do Estado, que também testemunha a agressão e interfere no caso.

De acordo com o relato do filho de Yuri, as agressões começaram após ele esbarrar no militar, que o questionou se ele “não o tinha visto”, e ao responder que não, o tenente-coronel partiu para cima do menor.

fonte: Unica News

Post Relacionado

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *