“Ela parecia uma menina meiga, adorável, simpática”, recorda vítima

48 0

A influenciadora digital Kamila Gonçalves Vieira, de 26 anos, acusada de aplicar golpes e furtar as residências mobiliadas que alugava, teria feito ao menos 25 vítimas.

Os relatos vão de furtos de pequenos valores dando “sopa” em algum lugar, a golpes engenhosos e ameaças de morte.

Kamila foi presa na noite de quarta-feira (10), depois que as vítimas a denunciaram. Ela foi encaminhada para a Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, na Capital, onde permanece presa após audiência de custódia.

As vítimas se reuniram em um grupo de Whatsapp para compartilhar relatos e informações sobre os golpes sofridos e a atual prisão da influenciadora. O nome do grupo recebeu o apelido de Kamila, “Vítimas Rapunzel”, como é conhecida nas redes sociais.

A designer de unhas Suelen Vescovi, de 26 anos, é uma dessas vítimas. Amiga desde 2018 de Kamila, ela afirma que o primeiro furto aconteceu logo nos primeiros meses de amizade. A influencer teria furtado um carregador de Iphone.

Ela parecia uma menina meiga, adorável, simpática, fazia amizade com todo mundo, sempre foi bem carismática

Quando foi descoberta, diz Suelen, Kamila deu desculpas e tentou incriminar outra pessoa, alegando que essa teria colocado o bem dentro da sua bolsa.

Mesmo com a amizade estremecida, Kamila continuava indo até o salão em que Suelen trabalhava para cuidar das unhas.

A ex-amiga, por sua vez, a atendia normalmente, como outra cliente qualquer, mas tomando, é claro, certos cuidados devido ao histórico da influenciadora.

Em certa ocasião, Kamila teria sido mais rápida e enquanto a designer estava no banheiro, teria furtado R$ 100 da bolsa dela. Na época, as câmeras de segurança teriam registrado o crime e, ao ser confrontada por Suelen, a influenciadora teria se desculpado e garantido que não faria isso novamente.

Segundo Suelen, Kamila conquistava as vítimas com uma personalidade cativante e, depois de aplicar os golpes e ser descoberta, ela mudava radicalmente. “Ela parecia uma menina meiga, adorável, simpática, fazia amizade com todo mundo, sempre foi bem carismática”, relembra.

“Nunca desconfiaria, pagava de amiga, ia na minha casa. E assim ela ostenta muito, roupa de marca…”, complementa.

“Ela sempre foi de pegar qualquer coisa de valor, seja um prato, um copo, uma caneta que ela vê que tem valor. Ela sempre foi lisa”, diz.

Quando descoberta e confrontada, segundo as vítimas, Kamila ameaçava a integridade física da pessoa ou expô-la nas redes sociais.

Outra pessoa que diz ter sido vítima da influenciadora é Lucas Bomfim de Andrade, de 21 anos. O encarregado de infraestrutura de rede locou um apartamento para a empresária no início deste ano.

No valor de R$ 1,5 mil mensais, o apartamento parcialmente mobiliado localizado no Bairro Jardim Imperial ficou com Kamila de março a julho. Apenas os dois primeiros meses de aluguel foram pagos.

Antes de sair da residência, deixando multas e aluguéis atrasados, Kamila teria atormentado os moradores do prédio e causado muitas confusões. “O estresse foi complicado”, contou.

A Lucas, o síndico do prédio contou que periodicamente viaturas da Polícia Militar apareciam no local por causa da então moradora. Mais de uma vez, moradores pediram ao proprietário para que ele despejasse Kamila.

Lucas estipula um prejuízo de mais de R$ 4 mil e agora, com a prisão, o sentimento é de dualidade. “A gente fica feliz [com a prisão], mas triste porque eu confiei nela”, relembra.

Segundo o encarregado, Kamila só não furtou os seus móveis por falta de oportunidade, já que mais de uma vez estacionou caminhonetes e carros de frete próximos ao prédio. “Eu fiquei em cima e o síndico me mantinha informado”.

Suelen compartilha do mesmo sentimento de Lucas sobre a prisão: “A gente queria receber o valor de volta, do prejuízo que ela causou, porém só pelo fato dela estar presa nós [integrantes do grupo de WhatsApp] estamos satisfeitos”.

Fonte: Mídia News

Post Relacionado