Stopa lembra demissões de servidores irregulares e dá data para entrega de asfalto no Osmar Cabral

34 0

Neste 20 de novembro José Roberto Stopa (PV) completa um mês à frente da Prefeitura de Cuiabá. O então vice, que assumiu após o afastamento de Emanuel Pinheiro (MDB), promoveu uma auditoria após assumir a cadeira de gestor municipal. Dentre os feitos estão, por exemplo, rescisão de contratos considerados irregulares pelo Ministério Público, demissão de 27 pessoas por nepotismo, além das obras entregues. Em conversa com o Olhar Direto, o prefeito em exercício garantiu que trabalha com continuidade de gestão e deu datas de entrega de projetos esperados, como o asfalto no bairro Osmar Cabral, o Contorno Leste e o Dutrinha.
Leia a íntegra:

Olhar Direto – Prefeito, vai fazer uma um mês neste sábado que o senhor está à frente da Prefeitura aqui de Cuiabá, queria perguntar primeiro o que que o senhor já conseguiu fazer nesse período e que que o senhor pretende realizar até o retorno de Emanuel?

Stopa – Até o prefeito retornar… Eu acredito que isso deve ser aí o mais breve possível. Deixando claro que é continuidade de gestão, mas tomamos atitudes proativas. Fizemos a demissão de todos aqueles servidores o MP considerava contratações irregulares, obviamente isso ainda será objeto de discussão, mas o MP considerava contratações irregulares. Estamos adequando o Prêmio Saúde à portaria, porque existia uma certa, vamos dizer assim, uma certa desorganização no Prêmio Saúde. Propusemos ao Tribunal de Contas a elaboração de um TAG para acabar com as polêmicas sobre o Prêmio Saúde de vez, estabelecer normas rígidas e dentro da nossa realidade para que acabe com essa discussão. Também solicitamos ao Ministério Público um TAC no qual a gente vai tratar da questão nepotismo, já demitimos inclusive vinte e sete pessoas que se enquadram na legislação de nepotismo e também fizemos com que Cuiabá continue com as suas obras, continue com seus empreendimentos, continue com a sua vida normal. Voltamos com a volta às aulas, liberamos as últimas restrições que existia principalmente para bares e restaurantes, certo? Para que eles possam trabalhar normalmente, encaminhamos projeto de lei à Câmara Municipal de que deverá ser aprovado nos próximos dias no qual bares, restaurantes, taxistas, salões de beleza não pagarão, no próximo ano, IPTU, alvará, enfim, aquelas categorias que foram mais penalizadas com a pandemia para que tenha a remissão desse débito no ano que vem, no ano de 2022. Também pensando naqueles que são mais carentes nós também encaminhamos um projeto de lei à Câmara Municipal aonde os catadores que operam em cima do aterro sanitário e charreteiros tenham três parcelas de R$ 500 pra que eles possam melhorar um pouquinho a qualidade de vida. Para você imaginar, esse é um dado interessante, antes da pandemia nós tínhamos em torno de 140 catadores em cima do aterro. Com o advento da pandemia esse número subiu para 344. Veja como que a pobreza leva as pessoas a atitudes desesperadas em busca de comida, em busca de melhoria de vida. E obviamente tocamos a cidade da forma mais normal possível. Lançamos também na semana passada em Conjunto com CDL, o pessoal do comércio o [projeto de] Natal, né? O comércio melhor decorado, o prédio melhor decorado, a casa melhor decorada receberá a isenção do IPTU no próximo ano. Então nós estamos reativando esse concurso, que é uma coisa muito legal, que contribui pra dar vida, deixar a cidade mais bonita.
Começamos também nessa semana as obras do Centro de Eventos Jonas Pinheiro, que vai requalificar todo o parque de exposição transformando em um dos maiores do centro-oeste. Um centro de eventos voltado ao agronegócio. Estamos também na fase final de elaboração de projetos e sondagem de solo do – que são emendas do senador Jayme Campos e do deputado federal Emanuelzinho que totalizará R$ 22 milhões, que vai possibilitar a Prefeitura a fazer – dois novos viadutos, viaduto ali do Centro de Eventos Pantanal e viadutos em cima da trincheira do Lavapés ali no Santa Rosa. Isso no nós já temos a garantia tanto do Emanuelzinho quanto de senador Jayme Campos desses recursos no qual a gente vai poder otimizar mais a mobilidade urbana ainda.

Estamos também realizando obras ali na Beira Rio, terminando a o recapeamento de toda a Beira Rio pra entregar uma Beira Rio como deve, requalificando totalmente. Enfim, vários lançamentos de asfalto, entregas de obras, como cito como exemplo a Avenida Trinta no Industriário, que o pessoal andava de barco lá quando chovia, com todas essas chuvas agora o pessoal é só felicidade lá na Avenida Trinta, enfim, é continuidade de gestão e essa continuidade da gestão é que eu desde o primeiro dia tenho colocado. Cuiabá não pode parar e não vai parar e é isso que estamos fazendo, mantendo as obras, dando continuidade ao governo.

OD  Nessas entregas de obras, o senhor citou a Avenida Trinta, o senhor tem sido muito bem recebido pela população, abraçado pela população. A que o senhor acha que se deve essa efetividade da dos cuiabanos?

Stopa – Primeiro ao bom governo tanto na gestão passada quanto nessa. O prefeito Emanuel Pinheiro vinha fazendo, vem fazendo, uma boa gestão. É muito fácil você continuar o que está bom. Como eu estou dando continuidade, ando muito pelos bairros, tenho uma grande afinidade com os bairros, principalmente os mais periféricos. Obviamente fica fácil ser bem recebido e graças a Deus, realmente por todos os locais que nós vamos temos sido bem recebidos.

OD – Agora pessoalmente em relação ao senhor. Como que o senhor tem trabalhado essa imagem política agora que o senhor é a cara da Prefeitura de Cuiabá? E ainda está um pouco cedo para falar, mas ano que vem a gente tem eleições pra deputado… o senhor pretende se candidatar a algum cargo ou quer deixar isso pra daqui a três anos se candidatar à Prefeitura… como que o senhor vê aí seu futuro político?

Stopa – Na verdade, eu vivo e penso que um dia de cada vez. Hoje eu só penso de fazer o melhor possível enquanto estiver aqui. Prefeito Emanuel Pinheiro pode voltar a qualquer momento, certo? A justiça que vai definir. Então enquanto eu estiver aqui, eu quero fazer um grande trabalho, quero trabalhar o máximo possível e é o que estou fazendo. Segundo, eu fui eleito para ser vice e na condição de vice eu quero cumprir.. obviamente você faz parte de um grupo político que ali na frente pode essa posição pode até ser revista,  mas hoje meu objetivo é cumprir os três anos que fala pela frente, em sinal até de gratidão à população cuiabana que elegeu a chapa Emanuel-Stopa.

OD- Mas gostaria de se candidatar à Prefeitura daqui a esses três anos ou não?

Stopa – Não, eu nem discuto isso, porque para acontecer isso a gente tem que trabalhar muito. Para acontecer isso tem que entregar o Contorno Leste. Para acontecer isso tem que entregar os dois viadutos que nós vamos começar e lançar em abril, tem que entregar a feira do porto, tem que entregar ampliação dos trabalhadores, entregar a avenida do bairro, enfim, nós temos que trabalhar muito. Se o trabalho vier com eficiência, nós vamos estar apto para ser candidato a qualquer coisa. Mas o objetivo no momento é trabalhar, trabalhar, trabalhar e não deixar Cuiabá parar.

OD – O senhor citou a questão da do Natal, da decoração. Além disso, a Prefeitura vai realizar algum evento de Natal igual a gente tinha na praça Alencastro?

Stopa – Estamos trabalhando pra isso e vamos anunciar até segunda-feira, porque não quero usar dinheiro da Fonte Cem. Então, eu preciso de parceiros. Então eu quero anunciar isso aí até segunda-feira.

OD – Nesse mês o senhor reuniu com o governador Mauro Mendes uma vez e duas com o vice que estava no exercício. Mauro falou pra imprensa que ele tinha mais confiança de trabalhar com o senhor, enfim, de trabalhar recurso pra Cuiabá com o senhor do que com o Emanuel e que inclusive ele tinha mais confiança de que o BRT iria pra frente com o senhor à frente da Prefeitura. Como que o senhor vê essa questão? Porque Emanuel tinha um trabalho forte de tentar implantar o VLT…

Stopa –  Primeiro, eu não quero discutir BRT agora, porque ainda não é o momento, só por isso, no momento certo nós vamos discutir. O que eu estou discutindo são outras obras com o governador que beneficiam muito Cuiabá. Já trabalhei, fui secretário do governador enquanto prefeito de Cuiabá, enquanto o mesmo era prefeito de Cuiabá. Obviamente ele tem uma confiança em mim e eu tenho nele. E nós conversamos abertamente isso. Eu fui lá com o objetivo de pedir ao governador obras de infraestrutura. O governador me pediu para encaminhar projetos para analisar. Nós vamos encaminhar para que ele faça junto com a equipe, o secretário Marcelo que também é meu amigo pessoal, que fique claro. É nesse sentido que nós estamos trabalhando, somente nesse sentido.

OD – Mas o senhor acha que agora podem diminuir essas rusgas que tinham entre prefeitura e governo enquanto o prefeito Emanuel estava à frente da Prefeitura? O senhor acha que tem uma relação pode abrir mais portas para a capital?

Stopa – Veja, eu tenho, e não é segredo, nunca pedi isso como segredo, um excelente relacionamento com o governador, com o ex-prefeito Mauro Mendes, depois um tempo afastado da política e depois governador. Eu tenho um excelente relacionamento com ele. Eu sempre deixei isso muito claro, muito claro, até porque eu trato minha vida, minhas questões políticas e pessoais de forma muito transparente. Eu tenho muito claro o que eu preciso pra Cuiabá, o que eu quero pra Cuiabá, enfim, e obviamente respeito o governador e ele tem respeito por mim. Acredito nisso. E a sua equipe, quando o vice Pivetta estava em exercício, aí sim eu fui lá duas vezes, conversamos sobre vários projetos. Como fui em Brasília, como consegui estar com o presidente, junto com o senador Wellington Fagundes, senador Jayme Campos, deputado federal Emanuelzinho, nos ajudaram muito em Brasília abrindo portas, muitas portas. Então, na verdade, meu único foco neste momento é trabalhar por Cuiabá.  Mesmo da forma errada, por que da forma errada? Porque a forma correta é você ser eleito e exercer o cargo no qual você foi eleito. Eu digo, assim, com uma certa tristeza você ter que assumir com o afastamento do meu amigo pessoal Emanuel Pinheiro. Eu não gostaria de assumir nesta situação, de alguém sendo afastado. Mas assumi e tenho que fazer o melhor possível, tenho que trabalhar dobrado, tenho que andar muito para que realmente eu possa honrar a confiança que a população nos deu quando me elegeu a vice

OD – Politicamente o PV está na base do Mauro, vai estar com o Mauro em 2022, como que o senhor enxerga isso em relação à posição do partido?

Stopa – Não enxergo, porque o partido tá discutindo a fusão com o Cidadania. Cidadania, querendo ou não, foram nossos adversários políticos aqui no estado de Mato Grosso. Primeira coisa que a gente tem que ter claro é se essa fusão vai acontecer, quem vai ter o controle do partido, quem vai ficar e quem vai sair. O PV, fundindo com Cidadania, a gente não tem como dizer mais nada sobre o partido. A gente perde o controle sobre essas ações. Então na verdade nós temos que esperar primeiro e tenho cobrado isso e vou cobrar isso agora no início de dezembro da nacional para que deixe claro se vá fundir com o Cidadania. Eu não tenho como conviver com aqueles que foram os grandes inimigos políticos da eleição passada. Eu encaro política de uma forma um pouco diferente do que talvez os outros encaram. Aqueles que foram nossos adversários, que nos atacaram, eu não tenho neste momento como estar unido com eles. Até porque houveram ofensas, houveram formas desrespeitosas de tratar.

OD – Então se houve a fusão o senhor sai do partido?

Stopa – Eu não disse que saio, mas eu disse que nós vamos ter que definir quem vai ster o controle do partido. Aí as duas nacionais, PV e Cidadania, vão ter que discutir quem vai ter o controle do partido em Mato Grosso.

OD – Essa agenda com o Neri agora [na quinta-feira, 18] foi pra convite do senhor ir pro PP?

Stopa – Não, eu não estou discutindo nada de política, eu não estou discutindo política. Para não dizer que eu não discuti política, em Brasília com o senador Wellington ele me convidou pra filiar ao PL e eu disse que o futuro a Deus pertence, até porque se acontecer essa fusão a gente não sabe o que vai acontecer. Senador Neri veio aqui justamente, junto com todos do PP, para a gente discutir uma ajuda para Cuiabá, só isso. Junto com o PP, Junto com Emanuelzinho, junto com o Fávaro, para discutir ajuda pra Cuiabá. Nós começamos – as emendas são agora em dezembro – eu estou fazendo um trabalho muito forte, eu estou muito focado no quesito asfalto novo. Eu estou muito focado nisso. O município não tem condições e nunca vai ter de colocar – colocou bastante, tá? O Emanuel colocou muito dinheiro da Fonte 100 em vários bairros para fazer asfalto – mas nós temos mais de quatrocentos quilômetros de asfalto por fazer. Mais de quatrocentos. E assim, se a gente consegue continuar no ritmo que estamos de asfalto, mais seis, sete anos, Cuiabá vai ser uma cidade livre de ruas não asfaltadas. Mais seis ou sete anos. É só você somar o que foi feito no primeiro mandato e nesse primeiro ano de segundo mandato, é só acompanhar as nossas entregas. Tem muito o que fazer? Tem, mas muita coisa está sendo feita.

 
OD – Asfalto no Osmar Cabral tem uma perspectiva aí pra vir?

Stopa – Tem, vai ser feito asfalto no Osmar Cabral, vocês vão ter novidades. Osmar Cabral, ali da região, em breve. Estamos trabalhando nisso, eu não tenho dúvida nenhuma. Nós estamos terminando São João Del Rey que é ali do lado, não tenho dúvida nenhuma que no ano que vem essa reivindicação de mais de trinta anos ali no Osmar Cabral, que são nove ruas, nós vamos realizar o sonho daquela população sofrida daquela região, daqueles trabalhadores.

OD – O senhor ontem teve uma agenda com o secretário Gilberto, certo? O que que foi tratado nessa agenda?

Stopa – Saúde, saúde, repasse pra saúde. Inclusive quero anunciar. Nós estamos fazendo uma força-tarefa aí com vários deputados federais, encabeçada pela deputada Emanuelzinho, pelo deputado Neri Geller. Os dois estão encabeçando, unindo a bancada de Mato Grosso para a gente ir em Brasília semana que vem. Esse final do ano é o ano da gente conseguir colocar recursos novos no orçamento, como diz… o Emanuel tinha essa habilidade, eu aprendi um pouco com ele e estou tentando seguir o caminho.

OD- As obras do Contorno Leste, como estão?

Stopa– Caminhando dentro do cronograma.

OD – Tem a perspectiva de entrega?

Stopa – Seis quilômetros esse ano, oito ano que vem e o restante do terceiro ano. Cronograma definido.

OD  – E os viadutos, que o senhor citou, e a trincheira?

Stopa – Dois anos. Começamos em abril do ano que vem e terminaremos daqui a dois anos

OD – E o Dutrinha?

Stopa – O Dutrinha… em virtude da CBF… porque nós queremos que lá tenha jogo do campeonato brasileiro. Em virtude da delegacia também de segurança lá que cuida da questão esportiva, vistoriamos isso, estamos as últimas mudanças para a gente ter um estádio… Por exemplo, nós reformamos o Dutrinha, aí depois a trave não aceita VAR. A trave tem que vir de fora porque tem um padrão. Então nós estamos corrigindo do Dutrinha ara que ele possa receber jogos no ano que vem do Brasileirão, Copa do Brasil e outros jogos, até porque Cuiabá vai continuar na primeira divisão, Cuiabá pode ir pra Sul-Americana, nós vamos ter jogos aqui excepcionais. Em algum momento nós podemos usar o Dutrinha para receber aqui times a nível nacional. Nós queremos resgatar esse templo do futebol pra que ele possa receber qualquer tipo de evento.

OD – Então está aguardando a CBF?

Stopa – Não, ela já nos deu a receita e agora nós estamos contratando, comprando trave nova, fazendo o que tem que ser feito.

OD – Tem alguma data?

Stopa – Até final de janeiro a gente pretende concluir isso.

OD – Em relação a do uma questão da Praça do Choppão, das obras de arte do Adir Sodré e do Wladimir Dias-Pino. Já tiveram algumas datas que foram passadas pelo Emanuel mesmo… o senhor tem alguma data pra passar?

Stopa – Não, não tenho data, mas nós vamos fazer, tá? Eu estou estudando qual que é o melhor jeito pra resolver aquele imbróglio lá. Mas nós vamos entregar.

OD – Orla do porto II? Tem data para entregar?

Stopa – Final do ano agora?

OD – E policlínica do Jardim Leblon?

Stopa – Também final do ano.

Fonte: Olhar Direto

Post Relacionado