Júlio: “Ninguém age no DEM; chega de carregá-lo nas costas”

101 0

Uma das lideranças do DEM em Mato Grosso, o ex-senador Júlio Campos detonou a atuação do Diretório Estadual, afirmando que, a menos de um ano da disputa eleitoral de 2022, o partido não está se articulando. Atualmente, o presidente do DEM no Estado é o ex-deputado federal Fábio Garcia.

 

Júlio afirmou que a sigla não realizou nenhuma nova reunião para discutir políticas nas eleições e não realizou novas filiações. Irritado, ele disse estar cansado de “carregar o partido nas costas”.

 

“Para que ficar se esforçando e lutando para mexer com atividades partidárias se o partido está inerte há mais de oito meses? O DEM está parado, em ‘stand by’. Não cresceu um filiado. Este ano ninguém se filiou ao partido. Ninguém convida, ninguém age. Chega de carregar o partido nas costas”, disse o democrata.


Para que ficar se esforçando e lutando para mexer com atividades partidárias se o partido está inerte há mais de oito meses?

Júlio ainda alertou que outras siglas, após a aprovação de mudanças na legislação em outubro deste ano, já iniciaram as articulações para nomes às majoritárias (Governo e Senado) e também às proporcionais.

 

O União Brasil – fruto da fusão entre DEM e PSL – , no entanto, adiou a discussão para o ano que vem. Isso porque, a sigla só “nascerá” de fato após a aprovação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e os democratas e pesselistas acreditam que isso pode acontecer em fevereiro de 2022.

 

“Acho muito tarde [discutir chapa no ano que vem]. O PSD de Carlos Fávaro já mobilizou uma chapa forte de deputados estaduais e federais. O PP de Blairo Maggi e Neri Geller já tem uma chapa completa, assim como o MDB de Carlos Bezerra”, afirmou.

 

“E o DEM, tem o que? Nada. Não tem um candidato a deputado federal oficializado. Dizem apenas que Fábio Garcia poderá ser candidato. Um só não se elege”, emendou.

 

Oficialmente, para a vhapa de deputados estaduais, apenas Eduardo Botelho e Dilmar Dal’Bosco já anunciaram pretensão de serem candidatos, indo à reeleição, segundo Júlio.

 

“E os outros 24 candidatos? [O partido] está desestruturado. Nós não sentamos há oito meses para conversar política”.

 

“E o próprio governador, que é candidato quase natural à reeleição, disse que só discute a partir de março ou abril”, completou.

 

Considerado pelos aliados candidato à reeleição ao Palácio Paiaguás, o governador Mauro Mendes (DEM) chegou a afirmar, nos bastidores, que tem 70% de chances de sair candidato em 2022.

 

Oficialmente, ele diz que está focado na gestão do Estado e só anunciará a sua candidatura em abril.

Fonte: Mídia News

Post Relacionado