Cuiabá encerra contrato com jogador acusado de agredir jovem

67 0

O Cuiabá Esporte Clube encerrou o contrato com o atacante Clayson Henrique Silva, acusado de agredir uma jovem em motel na última quarta-feira (07.12), após a vitória do Auriverde contra o Fortaleza. Em nota, o Dourado informou que a conduta do jogador é inaceitável e que ontem mesmo o excluiu do grupo do time que enfrenta hoje o Santos, na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

D.S., 21, diz que se cortou em boate após sofrer agressão de jogador

Conforme informações da assessoria do Cuiabá, após o episódio da agressão vir a tona, automaticamente a diretoria do time confrontou Clayson e o jogador Rafael Gava, citados no boletim de ocorrência registrado pela dançarina D.S, de 21 anos.

Clayson, então, confirmou a participação na ocorrência, enquanto Rafael alegou que estava em casa com familiares. O álibe, inclusive, foi confirmado por Clayson.

O Cuiabá lamentou o ocorrido e decidiu rescindir o contrato com o atacante, que estava emprestado do E.C. Bahia até o fim deste ano. Assim, ele já foi excluído do jogo contra o Santos na noite desta quinta-feira (09.12), na Vila Belmiro, em São Paulo, às 20h30 (horário de Cuiabá).

Ao ser confrontado, o jogador confirmou que participou do episódio | Foto: Reprodução

Em relação a Rafael Gava, o time informou que aguardará a conclusão das investigações para decidir qual atitude será tomada. Até que isso ocorra, o jogador segue no Cuiabá.

O clube ainda reforçou que repudia qualquer tipo de violência contra a mulher e disse que contribuirá na apuração dos fatos e responsabilidades.

Relembre o caso

D.S., de 21 anos, que foi resgatada por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) com cortes profundos no pescoço na manhã desta quarta-feira (08.12), em uma boate no bairro Bosque da Saúde, em Cuiabá, registrou um boletim de ocorrência afirmando que se cortou após sofrer agressão por um jogador do Cuiabá Esporte Clube durante um programa sexual.

De acordo com o registro policial, a mulher, que trabalha na boate Crystal Clube, relatou que três jogadores teriam contratado o serviço dela e outras duas dançarinas na noite de terça-feira (07.12). De lá, todos foram para um motel, localizado na Avenida Monte Líbano. Já no quarto, segundo a dançarina, o suspeito teria quebrado uma garrafa e a agredido. Conforme ela, ninguém teria a ajudado.

Assustada, a mulher resolveu deixar o quarto de motel e pediu um Uber para voltar para a um hotel próximo à boate Crystal. Lá, tomou remédios psiquiátricos e se cortou com um pedaço de garrafa. Ela ainda relata no boletim policial que nenhum funcionário do estabelecimento se prontificou a ajudá-la, e que somente conseguiu ser socorrida após falar com um amigo, que acionou o Samu e o Corpo de Bombeiros.

D.S. foi socorrida depois que se cortou, principalmente na faixa do pescoço. Ela foi encaminhada para o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC), onde continua internada. Seu estado de saúde, porém, não foi divulgado.

Por estar internada, a mulher foi ouvida pela polícia no local. O boletim de ocorrência foi registrado somente nesta quinta-feira (09.12).

Polícia Civil investiga o caso.

Confira na íntegra a nota do Cuiabá Esporte Clube:

O Cuiabá Esporte Clube informa que tomou ciência ontem da existência de um Boletim de Ocorrência em que os atletas Clayson e Rafael Gava são acusados de lesão corporal a uma jovem.

Ao confrontar os jogadores, a direção ouviu a confissão da participação de Clayson no lamentável episódio. Já Rafael Gava teve sua versão de que estava em casa com familiares confirmada pelo próprio colega.

O Cuiabá lamenta profundamente o ocorrido e já informou Claysson que sua conduta extracampo é inaceitável e que encerrará seu vínculo imediatamente. O atleta, que pertence ao E.C. Bahia, foi excluído ontem mesmo do grupo que enfrenta hoje o Santos, na Vila Belmiro, pela última rodada do Campeonato Brasileiro.

Em relação ao atleta Rafael Gava, o Cuiabá aguardará a conclusão das investigações para decidir qual atitude será tomada.

O clube de Mato Grosso reafirma publicamente seu repúdio a toda e qualquer forma de violência e de assédio, especialmente contra as mulheres, e contribuirá na apuração dos fatos e responsabilidades.

Fonte: capital noticia

Post Relacionado