Emanuel afirma que corrigiu injustiça ao regulamentar Prêmio Saúde: “Tirei dos que ganham mais”

59 0

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que corrigiu uma injustiça ao sancionar a lei complementar que traz a nova regulamentação do Prêmio Saúde. A lei prevê o pagamento do Prêmio Saúde entre R$ 400 a R$ 5,8 mil para cerca 6.200 servidores a partir do dia 1º de janeiro de 2022.

Denúncias de irregularidades no ‘Prêmio Saúde’, antes, cedido sem nenhum parâmetro, foi alvo de investigação e um dos motivos que levou o afastamento do cargo do prefeito por 37 dias.

“Sancionei o Prêmio Saúde, que visa garantir a inclusão e a justiça social. Cuiabá tem cerca de 6.200 servidores na Saúde Pública, entre efetivos comissionados e contratados, mais ou menos 4.200 ganhavam Prêmio Saúde e 2 mil ficavam de fora. Às vezes servidores que trabalhavam do lado de um colega que tinha a mesma função, o colega ganhava muito mais e outro muito menos. Isso é uma injustiça, então, nós corrigimos essa injustiça”, declarou o prefeito em entrevista nessa quarta-feira (29.12).

 

Segundo Emanuel, para corrigir e contemplar os dois mil servidores que ficavam de fora, foram retirados os valores de quem ganhava e divididos entre quem não recebia nada ou recebia menos: “Hoje os 6.200 servidores vão ter o Prêmio Saúde, eu tirei dos que ganham mais para dividir com os que ganhavam menos ou não ganhavam nada. Desta forma promovemos uma justiça social.”

A norma também contemplou os agentes comunitários de saúde e agentes de endemias, que antes recebiam R$ 70, agora passarão a receber R$ 400 de benefício, bem como, os dentistas que podem receber até R$ 800.

“Os servidores que estão lá nos bairros, nas unidades básicas de saúde, no postinho de saúde, no PSF, numa UPA, numa Policlínica atendendo o dia a dia da população, esses devem ser priorizados, o agente comunitário de saúde, o agente de saúde de endemias, dentistas que estavam fora, estes têm que ser priorizados”, declarou o prefeito.

Fonte: Vgn Notícias

Post Relacionado