PDT aposta em proximidade com Ciro e convida bancada do PSB para mudança de partido

28 0

Diante da possibilidade de haver uma federação entre PSB e PT – apoiada inclusive por um dos líderes nacionais do partido socialista, o governador Flávio Dino – o PDT de Mato Grosso convidou os dois deputados estaduais do PSB, Max Russi e Dr. Eugênio, para se tornarem pedetistas. Segundo o presidente estadual do PDT, deputado estadual Alan Kardec, os colegas de Assembleia se identificam mais com Ciro Gomes (PDT) do que com Lula (PT).

“O Max e o deputado Dr Eugenio e muitos prefeitos e vereadores e lideranças do PSB se identificam com o PDT. Nós temos as mesmas pautas, trabalhamos numa linha de centro-esquerda mais progressista, onde o Ciro Gomes representa mais o PSB do que o Lula. Com essa possibilidade da Federação entre PT e PSB, muitos filiados do PSB não vão se sentir representados, mesmo que num segundo turno possam vir a votar no Lula, mas num primeiro momento o Ciro Gomes e o PDT fica mais próximo daquilo que é o pensamento do PSB”, afirmou Kardec na última quarta-feira (5).

Recentemente, Russi afirmou que havia sido convidado pelo MDB e pelo PRB, e negou conversas com o PSDB. O presidente estadual do PSB já se posicionou contra a Federação com o PT, inclusive em reunião nacional do partido.

A criação das federações foi aprovada pelo Congresso Nacional neste ano. Ao contrário das coligações, neste modelo os partidos têm que atuar unidos nos quatro anos seguintes às eleições, tanto em nível federal quanto estadual e municipal. A intenção é dar ‘sobrevida’ a siglas pequenas. Após a aprovação, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), validou a lei que cria as federações partidárias. Ele fixou um prazo de seis meses antes da eleição para que os partidos decidam e oficializem suas uniões.

Segundo Kardec, Russi ainda aguarda a definição sobre a federação para dar uma resposta ao PDT. “Fizemos esse convite, foi um convite obviamente informal, e o Max disse que está na expectativa para saber se vai haver federação ou não, e depois da decisão da Federação, tem esse convite do PDT e outros convites que ele vai fazer análise. Falei isso para a minha executiva, para os nossos dirigentes do partido, e está todo mundo tranquilo com a possibilidade de vindas de lideranças para o PDT”, completou.

Alan, no entanto, negou que o colega possa chegar no partido e já se tornar presidente estadual. Segundo ele, entre 5 e 12 de fevereiro haverá votações para renovação dos diretórios da sigla. “Depois que ele [Max] estiver aqui dentro com condições de ser votado e votar, podemos fazer essa discussão [de ele ser presidente. Obviamente que ninguém é bobo, o Max é uma grande liderança, viria para ajudar a tomar as decisões do partido também”, finalizou.

Fonte: Olhar Direto

Post Relacionado